4 atividades de socialização e interação na Educação Infantil 

As atividades de socialização e interação na Educação Infantil são extremamente importantes para que a criança possa desenvolver aspectos comunicativos e cooperativos, construindo a habilidade de expressão, seja por meio de gestos, falas, sinais, entre outras coisas.

Mas, diferentemente dos jovens e dos adultos, essas atividades precisam se adaptar à vivência dos pequenos, tanto em contextos sociais quanto nos de desenvolvimento mesmo, cognitivo e motor. Ou seja, geralmente, por meio de brincadeiras.

Sempre frisamos aqui no blog que aprender brincando é bem eficaz com as crianças, afinal chama a atenção e se encaixa no contexto de sua faixa etária.

É por isso que, hoje, para expor ainda mais essa necessidade de socialização e interação na Educação Infantil, a Brincando com Papelão apresentará atividades super divertidas para fazer tanto em casa quanto na escola. Vem com a gente para saber mais!

Entendendo porque a socialização é importante na infância

As primeiras fases da vida, mais precisamente na infância, são essenciais para o bom desenvolvimento da criança, preparando-a para se tornar um adolescente, jovem e, posteriormente, adulto funcional. E uma das questões mais importantes a ser trabalhada é a socialização.

Pelo contato com outras pessoas fora do âmbito familiar, como coleguinhas de escola e professores, ela desenvolverá muitas outras habilidades, um senso de coletividade, solidariedade e cooperação, por exemplo. A socialização é muito importante para as crianças porque trabalhará melhor a comunicação e a expressão de suas ideias.

E tudo isso não necessariamente precisa ser ensinado com giz ou caneta no quadro e teorias, não é nem viável por causa da idade. São coisas que elas podem adquirir através de experiências que, geralmente, envolvem brincadeiras. Grandes estudiosos do desenvolvimento infantil, como Piaget e Vygotsky, consideram que o brincar desenvolve muito a interação social.

Crianças apostando corrida de saco

Isso se dá porque, nesses momentos, as crianças estão na posição de tomarem decisões com base no que desejam, expressar o que estão sentindo e conhecer mais do mundo através de sua exploração, sem atender às expectativas e exigências dos adultos.

Mas isso não quer dizer que os adultos não podem dar uma mãozinha para que esse desenvolvimento seja trabalhado. É possível criar situações interativas pensando em obter resultados sociais e deixar os pequenos livres.

Pensando em brincadeiras para trabalhar a interação social

Todo esse trabalho pode ser feito tanto em casa quanto na escola, mas essa última é bem mais eficaz, já que são mais crianças juntas, o que permite atividades maiores. Elas estão em um local sociocultural além da “bolha” da família, então podem adquirir muitos conhecimentos através de experiências novas.

Esses novos conhecimentos podem ser resumidos em:

  • Mais autonomia para a resolução de conflitos;
  • Aprender a seguir regras e sua importância;
  • Fazer amizades novas;
  • Aprender sobre empatia, companheirismo e solidariedade;
  • Adquirir espírito competitivo, trabalhando o ganhar e o perder.

Para isso, há brincadeiras mais específicas, que necessitam de união, maior comunicação, entre outros aspectos interativos. Por meio da dinâmica das atividades, os pequenos se desenvolvem sem ao menos notar. Veja 4 opções:

1. Caça ao tesouro

Caçar um tesouro é divertido em todas as idades, ainda mais se esse for um tipo de recompensa. Mas para que não vire algo muito competitivo e não permita que outros ganhem, é importante estruturar bem a brincadeira.

No pátio da escola ou na sala de aula, escolha três ou quatro recompensas, que todo mundo possa usufruir, e separe as crianças em grupos correspondentes. Com os times separados, dê pistas para cada um, por exemplo: o tesouro do time 1 é de tal cor, o do time 2 tem determinada forma e o tesouro do time 3 é de plástico, doce, salgado etc. São muitas possibilidades.

Explique que se um time achar o tesouro do outro time pode falar e pedir ajuda para achar o seu próprio. Pode parecer complicado, mas as crianças vão entender, mesmo que tenham 4 ou 5 anos, basta deixar tudo bem claro e, depois, ver elas se divertirem.

O trabalho coletivo, a ajuda ao próximo e atenção são muito trabalhos aqui, já que precisam de concentração para achar o presente, lembrando da dica que foi dada, e todos estão procurando por uma premiação em comum.

2. Vivo ou morto

Essa brincadeira é super bacana e traz muitas risadas. Trabalhando a atenção e os reflexos, ou seja, o cognitivo e a motricidade, um aluno, ou o professor ou a professora deve ser a pessoa que dá os comandos.

Os pequenos devem ficar um do lado do outro para seguir o que o comando diz. “Morto”, devem abaixar, e “Vivo” ficam em pé, quem errar sai do jogo e espera ele recomeçar.

A mesma dinâmica funciona com o “Careca e cabeludo”, só muda que no “Careca” todos devem pôr a mão na cabeça e no “Cabeludo” devem afastar como se tivessem um cabelo bem cheio.

Para que a interação seja mais trabalhada e o espírito de equipe, que são objetivos dessas atividades de interação, é indicado separar os pequenos em times. O time ganha quando um membro é o último a sair.

3. Cabra cega

O pega-pega vendado é muito divertido e promove muita socialização entre as crianças, afinal elas têm que se ajudar, chamando a que está de cabra cega para despistá-la e não serem pegos.

Família brincando de cabra cega

Um aluno é escolhido e vendado, então, na sala de aula ou no pátio, os outros se espalham e têm que fugir da cabra cega. Quem for pego é o vendado da vez. O legal dessa atividade é que todo mundo pode ser o escolhido se não conseguir fugir, então nenhuma criança se sente inferior ou deixada de lado.

4. Corrida de 3 pernas

As crianças podem ser separadas em times e, depois, em duplas. Cada dupla deve deixar duas pernas juntas, a esquerda de uma e a direita da outra criança, e se apoiarem para realizar uma corrida. É indicado passar uma fita ou uma pequena cordinha para que as pernas não escapem e elas não sejam desclassificadas.

Assim, faz-se uma linha de partida e outra de chegada e elas devem correr até lá, até que um time acabe primeiro. Por precisar de um equilíbrio maior, os pequenos podem fazer em tatames de EVA ou grama, assim evitam se machucar caso caiam.

Nem precisamos dizer que o espírito de equipe e competição são muito trabalhados aqui, não é? Os pequenos apoiam os integrantes do mesmo time, se ajudam e torcem para que sua equipe vença.

Atividades extra de interação entre as crianças

É recomendado pela Organização Mundial da Saúde e pelo Ministério da Saúde que atividades físicas sejam feitas para evitar a obesidade infantil. Além de todo o trabalho social, as brincadeiras permitem que os pequenos se exercitem, o que é recomendado desde a tenra idade.

Mas além de brincadeiras, outras atividades podem ser feitas para promover essa comunicação entre os pequenos e adultos, como um piquenique. Que criança não ama comidinhas gostosas e bem preparadas pelos adultos, não é? Quanto mais colorido, melhor!

Família em fazendo piquenique sentados sobre um gramado

Então, na escola, as professoras podem pedir que cada um traga de casa, no outro dia, frutinhas ou outros alimentos saudáveis para que possam fazer um piquenique bem legal. Eles estarão desfrutando de boa comida, conversas legais, partilhamento de alimentos e interagindo com o ambiente.

O que achou das ideias? São com essas coisas simples que ensinamos muitas coisas novas à criançada. Assim, eles crescem entendendo a importância de se comunicar com outras pessoas.

Para mais dicas de brincadeiras, fique sempre atenta(o) nos posts da Brincando com Papelão. Até a próxima!

Deixe um comentário